Aquisição do mês: Garota exemplar

Se tem um lugar onde eu me sinto muito bem é em uma livraria. Entre prateleiras de livros, com todos aqueles títulos que guardam tantas novas histórias. Quando eu entro em uma livraria é quase como entrar em um buraco negro, se me deixarem eu fico lá por horas lendo sinopses de livros, imersa na difícil missão de escolher um só título. Eu tento comprar um por vez, porque assim é garantia de que eu vou encontrar tempo pra ler aquele e só depois comprar outro. A aquisição pra minha, ainda pequena, biblioteca deste mês foi o livro Garota exemplar. Eu fiquei sabendo desse livro pelo twitter da Intrínseca. Me interessei pelo nome, procurei a sinopse e gostei do que li. Gosto muito de suspense, sou leitora de Agatha Christie desde sempre, então comprei o livro.

O casamento mata (?)

GarotaExemplar

Este é um livro, também, sobre casamento e sobre como a gente pode conviver com alguém por anos e nunca realmente conhecer essa pessoa. Amy é filha de dois psicólogos-escritores que ganharam muito dinheiro nas décadas de 80 e 90 com uma série de livros infantis conhecida como Amy exemplar. Ela é casada com Nick e tudo parece ir muito bem até o aniversário de cinco anos de casamento deles. Nesse dia, Amy desaparece deixando como pistas um ferro ligado e vários móveis revirados pela sala. Logo começam buscas, vigílias,  grupos voluntários e plantões telefônicos à espera de uma pista que leve ao paradeiro de Amy. Não demora muito para que as suspeitas caiam sobre Nick, o marido, o principal suspeito e provável culpado em casos assim. A mídia, o público, a policia e até mesmo os vizinhos condenam Nick, antes mesmo que se saiba o que de fato aconteceu com Amy. A história toda é contada sob dois pontos de vista. De um lado, Nick: enigmático, frio e claramente escondendo alguma coisa. Do outro lado, o início da história dos dois contada por Amy, através das anotações deixadas em seu diário, sempre doce, prestativa e alegre.

Pra mim, o livro começa a ficar bom mesmo na segunda parte. Depois de uma reviravolta na história, que faz com que tudo finalmente faça sentido. O que me prendeu na história não foi a parte sobre Amy desaparecida: quem terá feito isso a ela? O que me prendeu foi o duelo entre os dois grandes protagonistas do livro: quem vai levar a melhor?

Eu teria dado um final diferente pra esse livro, mas acho que a história toda levou ao desfecho que a autora escolheu. Ou seja, não gostei, mas achei bem coerente. Um dos personagens se deixa ser manipulado durante todo o livro, é claramente mais fraco e dependente. Enquanto o outro é mais forte, mais disciplinado e calculista. Teria o final justo ou o final coerente, Gillian Flynn optou pelo final coerente.

Anúncios

Mama

Mama é um filme sobre duas crianças que perdem os pais e ficam perdidas por cinco anos. Depois de encontradas, vão morar com o tio, Lucas, e a namorada dele, Annabel. Como as duas meninas sobreviveram sozinhas todo esse tempo permanece um mistério, mas as duas falam de uma presença a quem chamam de Mama. Mama é o espírito perturbado da vez, que não pretende deixar a família em paz tão cedo. Sinceramente, é a mesma história que a gente (fãs de terror) já viu milhares vezes, interpretada por outros atores. Eu gosto desse tipo de filme, então recomendo. As atuações estão ótimas, o clima de suspense permanece durante todo o filme e o final é até meio piegas, mas eu gostei. Ontem eu vi que Mama é um dos filmes trollados em Todo mundo em pânico 5, outra estreia de 2013 que estou ansiosa pra ver.


Mama foi inspirado no curta-metragem Mamá, que achei no Youtube, com apresentação do Guillermo Del Toro (produtor nesse filme, diretor de O labirinto do Fauno):

O clima do filme é esse mesmo, inclusive tem uma cena bem parecida! 😉

Hitchcock

Suspense sempre foi meu gênero preferido, tanto na literatura quanto no cinema. Logo, Alfred Hitchcock é um dos meus diretores referência. Memória de vida: uma semana depois de assistir Pássaros eu conheci a Penny Lane, minha calopsita, e morria de medo dela: efeito Hitchcock! Voltando ao presente: Há umas duas semanas eu assisti à cinebiografia do diretor, que acompanha o relacionamento de Hitchcock com sua esposa Alma, durante as filmagens de Psicose. Eu, que amo cinema, gosto muito de filmes assim, que mostram os bastidores de grandes produções. As gravações de Psicose são parte importante do enredo, mas o grande protagonista deste filme é mesmo o relacionamento entre Alma e o mestre do suspense, MUITO bem interpretado pelo Anthony Hopkins. Alma é apresentada como grande parceira de vida de Hitchcock, parte importante em seu trabalho e de suas produções. Mas a melhor parte mesmo, pra mim, foi me sentir mais próxima de uma das obras mais famosas de Hitchcock e ter conhecido mais sobre o clássico. Eu não sabia, por exemplo, que o filme foi inspirado em um livro baseado na história de um assassino real: o mesmo que inspirou o serial killer de O massacre da serra elétrica, Hannibal Lecter e, mais recentemente, Bloody Face, o psicopata da segunda temporada de American Horror Story.

Hitchcock tem uma visão da personalidade do “Mestre do suspense”.
Hitchcock não tem suspense.
Recomendado pra quem gosta de saber mais sobre a história do cinema, ou de biografias em geral.

Dica!

Outro dia eu descobri uma coisa, que talvez o mundo todo já saiba: as pipocas doces da Yoki. Eu já sei que não é nenhuma novidade, mas pra mim foi a descoberta do ano! (: Eu adoro pipoca doce, mas não tenho muitas habilidades na cozinha. Faço pipoca no micro-ondas e depois coloco uma cobertura de chocolate quente por cima (uma das minhas especialidades, aliás ;)). As pipocas doces da Yoki simplificaram minha vida, nos dias de preguiça pressa. Gostei!

Roteiro

Hey ho, let’s go!

Esta semana tem feriado (eba!) e pra aproveitar bem esses dias eu vou a Buenos Aires, pela primeira vez. Acho que quatro dias é pouco tempo pra conhecer qualquer lugar, mas já dá pra ter uma primeira impressão. Pra aproveitar melhor o tempo de qualquer viagem, é sempre bom pegar umas referências com quem já esteve na cidade e escolher com antecedência alguns lugares pra visitar. Eu fiz uma lista com algumas das minhas dicas preferidas de Bs As, até agora:

Restaurante La Brigada
Restaurante em San Telmo. Me falaram tão bem de um tal de bife de chorizo que tem  lá, que eu confesso que já estou contando os minutos pra conhecer o lugar.

Foto copiada daqui!

Calle Florida
Dia de compras na rua Florida, reservado! Pelo que eu li, é a rua comercial mais tradicional da cidade. Lugares que recomendam por lá: Farmacity (farmácia), Farmabella (loja de departamentos), Zara, Galeria Pacífico e Florida Garden Confiteria (uma confeitaria que, pela descrição, eu acho que vou amar).

Foto copiada daqui!

Feira de San Telmo
Todos os guias de Buenos Aires que eu li falam dessa feira. Acontece aos domingos, o dia inteiro, na Plaza Dorrego. Sorte minha, que não consegui voo cedo e vou poder aproveitar a tarde por lá. Além das feirinhas, tem artistas performáticos e tango de rua.

Foto copiada daqui!

Puerto madero
Parece um dos cenários mais perfeitos da cidade. Tem vários restaurantes com vista para os diques do rio de La Plata. Li em algum lugar que é bom deixar esse lugar pra um fim de tarde ou para o jantar: é quando o lugar fica mais bonito.

Foto copiada daqui!

Café Tortoni
É o café mais antigo da cidade, inaugurado em 1858. Bom para tomar chocolate quente no inverno e sorvete no verão. O sorvete em Buenos Aires é bem famoso, pretendo tomar em vários lugares.

Foto copiada daqui!

Caminito
Vi várias fotografias bem coloridas dessa rua de La Boca, que guarda um pedaço importante da história de Buenos Aires. Também li que é um dos lugares mais visitados por turistas. Aliás, dizem por aí que é o ponto turístico mais fotografado da cidade, com ateliês e exposições ao ar livre, além dos shows de Tango.

Foto copiada daqui!

Isso tá ficando quase um roteiro gastronômico! Será que gosto de conhecer a culinária dos lugares? Faltaram opções de balada, mas espero voltar com dicas bem legais! Além das minhas próprias impressões e fotografias, enfim, meu olhar de Buenos Aires! 😉

Oz: mágico e poderoso

Semana passada eu fui ver Oz: mágico e poderoso, o novo filme do Sam Raimi (diretor de Arraste-me para o inferno). Sempre adorei a história da Dorothy, quando eu era criança assistia a um desenho em que os famosos sapatinhos vermelhos tinham o poder de levá-la a Oz: tudo o que ela precisava fazer era ficar na pontinha dos pés, encostar um sapato no outro e pronto! Até hoje eu gosto de sapatos vermelhos. Acho que meu inconsciente anda à procura de um par de sapatinhos mágicos! (:

Voltando ao filme, a versão do Sam Raimi não traz nem Dorothy, nem homem de lata. Tudo começa no Kansas, quando Oscar é um mágico em um circo itinerante que, perseguido por um colega furioso, foge em um balão, é pego por um tornado e vai parar em.. Oz! Lá, ele conhece a bela Theodora e sua irmã Evanora, duas bruxas que o convencem a matar a malvada bruxa Glinda. Quem conhece a clássica história já percebeu o erro dessa frase! Eu gostei do filme, mas não achei nada de especial na história. Meio óbvia demais, com personagens que não convencem muito. Mas os efeitos em 3D são bem legais!!

Oz: mágico e poderoso tem efeitos 3D legais, cenários bem coloridos e várias referências ao Mágico de Oz original.
Oz: mágico e poderoso não tem uma boa história pra contar.
Recomendado pra quem gosta dessa onda de filmes inspirados em antigos contos infantis.

50 anos de Please Please Me!

Hoje faz exatamente 50 anos que o primeiro álbum dos Beatles foi lançado. Em 22 de março de 1963 o disco Please Please Me, aquele com as músicas I saw her standing there e Twist and Shout, estreava no Reino Unido. Pra mim, esse é o melhor disco deles: eu consigo identificar todas as músicas e adoro tanto que posso ficar a tarde inteira escutando. Sem ele, Ferris Bueller não teria sido o mesmo, os shows cover dos Beatles não seriam os mesmos, e eu não seria TÃO fã da banda. Ainda seria super hiper ultra mega fã, mas não seria tanto quanto sou.. se é que vocês me entendem 😉 Resumindo, esse é meu disco preferido, da minha banda preferida! Viva os 50 anos de Please Please Me!

Dica de blog: Le blog de Betty

Quem gosta de acessar blogs de moda em busca de inspiração, tipo eu, tem que conhecer o Blog da Betty! Betty é uma blogueira francesa, tão conhecida no Brasil que decidiu traduzir o blog para o português, além do inglês. Pelas escolhas de roupas e acessórios, dá pra perceber que, além de linda, ela é cheia de personalidade. Esta semana a Betty está no Brasil, veio para o SPFW. Eu adoro o estilo do blog dela, pouquinho texto e muitas fotografias lindas, grandes e cheias de detalhes. Olhem um pouco do que eu quero dizer:

E aí, gostaram da dica? 😉